A definição técnica de hidroterapia é: aplicação de água para o tratamento de disfunções físicas ou psicológicas. O uso de água e a execução de terapias em ambiente aquático ajudam no avanço de um programa de reabilitação. A hidroterapia iniciou na Grécia antiga com o uso de spas de água quente e programas de exercícios. Atualmente existem milhares de fisioterapeutas que usam água para várias aplicações terapêuticas.

Hidroterapia

Indicações para o uso de hidroterapia

Os que mais se beneficiam da hidroterapia incluem pessoas com distúrbios neuromusculares, musculoesqueléticos, cardiovasculares e pulmonares. Além disso, diagnósticos específicos que demonstraram benefício do grupo incluem problemas ortopédicos que exigem diminuição do suporte de peso para realizar os exercícios específicos, distúrbios neurológicos que necessitam de maior equilíbrio e estímulo proprioceptivo, diminuição da função cardiovascular, asma induzida por exercício, gravidez e qualquer condição que seja intolerante para exercícios com pesos. Inegavelmente, pessoas com dor nas costas também experimentarão os benefícios da hidroterapia.

 

Justificativa para Uso de Hidroterapia

A hidroterapia funciona com o intuito de usar as propriedades específicas da água para ajudar na reabilitação. As propriedades específicas da água utilizada incluem maior flutuabilidade, maior resistência e maior pressão hidrostática. Consequentemente, estas propriedades permitirão diminuir a carga nas articulações, aumentar a atividade muscular, aumentar o fluxo sanguíneo e diminuir o edema. Logo, uma pessoa terá uma diminuição no tempo de recuperação e um aumento na taxa de cicatrização.

 

Como a hidroterapia é usada?

Um fisioterapeuta irá realizar o tratamento com um paciente na profundidade desejada de água. A profundidade dependerá da atividade que o paciente realizará, da tolerância do paciente à água e da quantidade de peso a ser descarregado. Provavelmente, todo o tratamento será realizado com o paciente na água. A terapia incluirá movimentos direcionados pelo terapeuta e pelo paciente. Alguns dos movimentos serão ativos com o paciente realizando toda a atividade. Em algum momento eles serão passivos, com o terapeuta realizando a atividade. Sumariamente, o tratamento incluirá atividades que descarregam a coluna, fortalecem os músculos e aumentam a amplitude de movimento das articulações. Todas as atividades realizadas serão baseadas na tolerância e capacidade do paciente em realizar a atividade.

 Benefícios da hidroterapia

Ao usar a hidroterapia, uma pessoa pode esperar ter diminuição da carga nas articulações com maior resistência, bem como aumento do movimento. Como resultado, uma pessoa será capaz de mover-se mais facilmente, melhorar sua resistência e sentir menos sintomas.

Enquanto estiver na água, o corpo da pessoa terá maior circulação devido ao aumento do débito cardíaco, o que levará a uma redução geral da frequência cardíaca, diminuição da pressão arterial e aumento da eficiência cardíaca. Adicionalmente, haverá também um aumento na capacidade pulmonar com menos asma induzida por exercício. A função renal também melhora por conta do aumento da pressão e do fluxo sanguíneo. Como resultado, diminui-se o edema e reduz-se a pressão arterial.

Finalmente, a hidroterapia tem um efeito psicológico de fazer com que uma pessoa sinta-se relaxada com água morna ou sinta-se revigorada e energizada com água fria. A água quente proporciona um ambiente calmo, enquanto a água fria ajuda a facilitar o exercício mais ativo.

Resultados esperados com a hidroterapia

Em síntese, podemos esperar um aumento na amplitude de movimento articular e força muscular. Há aumento da capacidade funcional, ao passo que diminuição da percepção dolorosa. Possivelmente uma pessoa notará melhorias em todas as áreas de reabilitação e atividade funcional.

Espera-se que uma pessoa tenha algum desconforto durante ou após uma sessão de hidroterapia. Esse desconforto deve ser o mesmo que qualquer pessoa experimentaria ao iniciar um novo programa de exercícios. Uma vez que esta dor inicial diminua, a pessoa continuará a ver progresso.

NASS 150

Sobre o autor

Ortopedia e Traumatologia
Cirurgia da Coluna Vertebral
Fellow of Interventional Pain Practice

Você também pode gostar:

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: